Uma simulação em vídeo divulgada pela Agência Espacial Norte Americana (Nasa) mostra a evolução da Lua ao longo de sua vida. No projeto, é possível ver como o satélite ganhou forma em 4,5 bilhões de anos.

A Lua foi alvo de diversos impactos, que deram a ela crateras que podem ser vistas hoje a olho nu. Localizada a uma distância de 384,4 mil quilômetros, a nossa Lua é o maior satélite natural de um planeta no sistema solar quando comparado ao tamanho de seu corpo primário — no nosso caso, a Terra.

Embora tenha evoluído à base de fogo e bombardeios, a Lua atualmente tem temperatura média de -53,1°C, chegando a -173,1°C e com máxima de 116,9°C.

A rotação da Lua, ou seja, o giro que ela dá em torno do próprio eixo, dura 27 dias, 7 horas e 43 minutos. É o mesmo tempo que ela leva para concluir uma volta em torno da Terra.

O lado oculto da Lua

O rover lunar conhecido como Yutu 2 enviou à Terra fotos inéditas do lado oculto da Lua recentemente. O carro-robô passou os últimos três anos investigando áreas desconhecidas do nosso satélite e, agora, mostrou imagens impressionantes da superfície pouco conhecida do astro.

O rover chinês, movido a energia solar, pousou na Lua em 4 de janeiro de 2019. Desde então, fez explorações interessantes na superfície do satélite. Da Terra, só conseguimos vislumbrar um único lado da Lua.

As câmeras do veículo captaram crateras e montanhas, tais quais às visíveis na superfície da Lua que enxergamos. Antes do rover chinês, o outro lado do satélite era um mistério.

Fonte: TV Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.