A rodada 17 da Série B do Brasileiro começou daquele jeito e com motivo de festa para os regatianos. Na noite desta terça-feira (5), no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa-PR, o CRB visitou o Operário Ferroviário e conseguiu uma incrível vitória por 3 a 2. O Galo teve a proeza de sair na frente do placar, levar a virada, mas conquistar a revirada para ganhar os três pontos.

Os gols do confronto foram marcados por Emerson Negueba, Raul Prata e Fabinho, do lado regatiano, enquanto Tomas Bastos e Javier Reina descontaram para o Alvinegro.

O resultado fez o time alagoano dar um salto grande dentro da tabela. Mesmo esperando a sequência da rodada para conhecer sua posição, o CRB dorme na sexta posição, com 23 pontos, dois a menos que o primeiro time do G4. O Fantasma começa a se preocupar com o Z4, já que fica em 13º, com os mesmos 19 pontos.

Os dois clubes terão um tempo bom de preparação, ainda mais o OFEC, que fará sua próxima partida no mesmo Germano Krüger. No dia 14, o Operário vai receber o Sport, às 18 horas. O Galo também joga em casa, porém, apenas no dia 16 de julho. Na ocasião, irá receber o Brusque, às 16 horas, no Trapichão. Os dois embates são válidos pela 18ª rodada da Segundona.

1º TEMPO
O clima frio do Sul do país, pareceu insignificante quando a bola rolou no Germano Krüger. Em campo, as equipes começaram com marcação forte, com boas disputas. O jogo estava tão quente, que logo na primeira chegada, a rede balançou. Gabriel Conceição recebeu um lindo lançamento pelo lado direito e invadiu a grande área. O centroavante só tocou para o lado, onde Emerson Negueba apareceu para apenas empurrar para o gol, aos 5 minutos: 1 a 0.

O gol rápido surpreendeu muita gente, sobretudo os jogadores alvinegros. A resposta teve que ser tão veloz quanto o gol sofrido, e ela veio aos 10 minutos. Com boa jogada de Arnaldo pela direita, o lateral deixou um bom passe para Tomas Bastos arriscar. O chute foi ótimo, mas Diogo Silva segurou. Na cobrança de escanteio, Reniê finalizou de cabeça e novamente o arqueiro regatiano defendeu bem.

A partida estava frenética e Diogo Silva foi muito bombardeado. Aos 12 minutos, não deu para o goleiro segurar o furacão Tomas Bastos. Giovanni Pavani cruzou pelo lado direito e Diogo foi na bola, mas com a mão mole. Com isso, a redonda sobrou para Tomas Bastos, que chegou de carrinho para arranjar o empate veloz para os donos da casa.

O 1 a 1 botou fogo no confronto, que mostrou-se muito movimentado. Loucura foi tanta, que cada clube perdeu um jogador por lesão, antes da metade inicial. Com 15 minutos, quase o Operário virou, em lance de cabeça de Reniê. Mas o zagueiro finalizou para fora. Contudo, o embate passou a ser dominado pelo Fantasma, que chegava mais ao ataque. A ofensiva regatiana passou a funcionar pelo alto. Diego Ivo apareceu com perigo, aos 23 minutos, mas cabeceou para fora.

Com 25min, veio a chance dourada para os paranaenses. Após cruzamento na área, a bola explodiu no braço de Iago Mendonça. Em campo, a arbitragem marcou a penalidade máxima. Na bola, Javier Reina, tentando voltar a boa fase, no gol, Diogo Silva tentando se redimir. O colombiano se deu melhor. Bateu bem, no cantinho, e apesar de ir na bola, Diogo Silva não conseguiu defender: 2 a 1 para o Fantasma.

Parecia que tudo estava caminhando para uma calmaria, mas o Regatas tratou de manter o fogo aceso. Na sua primeira chegada após a virada, veio o tento que trouxe o empate de volta. Como fator surpresa, o lateral direito Raul Prata apareceu na entrada da área, mandando um foguete indefensável para o goleiro Vanderlei: 2 a 2, com apenas 30 minutos do primeiro tempo.

Com o novo empate, foi a vez do CRB ter as melhores chances. Rafael Longuine arriscou um chute colocado aos 36 minutos, mas a redonda desviou e saiu da direção do gol. O contra-ataque virou a principal arma do Galo. Com 38min, Emerson Negueba fez uma jogada individual oriundo do campo de defesa. Ao chegar na entrada da área, arriscou o chute e Vanderlei fez a ponte para salvar.

A partir dos 40 minutos, as chances começaram a diminuir, porém, as disputas ainda eram extremamente intensas. Inclusive, foi o momento da partida com mais faltas marcadas. Após 48 minutos de muita emoção, o 1º tempo chegou ao fim em um justo empate por 2 a 2.

2º TEMPO

Após tudo que aconteceu no primeiro tempo, a expectativa para a etapa final era tão alta quanto. Logo com 2 minutos, Javier Reina arriscou um chute de longe, mas sem direção. Tomas Bastos fez o mesmo, aos 5 minutos. Entretanto, os times demoraram um pouco mais para criar oportunidades perigosas. Foram pelo menos 18 minutos sem uma grande chance.

Com baixo desempenho em campo, Claudinei Oliveira decidiu mudar a equipe. Contudo, o Galo era melhor. Reniê, com 20 minutos, fez um cabeceio perigoso e quase marcou gol contra. A bola aérea passou a ser bem utilizada pelo CRB, mas a defesa do OFEC se deu bem na maioria das vezes.

Quando não deu para se defender, o Regatas aproveitou. Com 24 minutos, Rafael Longuine cobrou um escanteio na primeira trave, Gabriel desviou a bola parou na segunda trave, onde Fabinho apareceu para mandar uma bomba no fundo das redes e decretar a segunda virada do confronto: 3 a 2 para o Galo.

Sofrer a revirada foi um verdadeiro balde de água fria para os donos da casa. Com a desvantagem, não houve outra opção, o Operário teve que se atirar para o ataque. Aos 32 minutos, veio uma chance sensacional com Lucas Mendes. Kalil encontrou o companheiro na frente da área e Lucas mandou uma bomba colocada, no ângulo, mas Diogo Silva fez uma defesa espetacular.

Com a vantagem, Daniel Paulista fez o simples: se defender. Em campo, por outro lado, seus jogadores abusaram da cera, o que dificultou muito a vida do clube paranaense. O CRB ainda teve chances. Negueba, aos 45 minutos, ficou perto de marcar o quarto, mas a finalização foi pela linha de fundo. O OFEC apertou, apertou, mas não assustou o goleiro Diogo Silva. Aos 49 minutos, Marielson Alves Silva encerrou a partida, com mais um grande resultado do Galo fora de casa.

Ficha técnica

Operário Ferroviário – Vanderlei; Arnaldo, Reniê, Willian Machado e Fabiano; Ricardinho (Kalil), Javier Reina (Felipe Garcia), Tomas Bastos e Giovanni Pavani (Rafael Chorão); Felipe Saraiva (Giovani Fellipi (Lucas Mendes)) e Junior Brandão. Técnico: Claudinei Oliveira.

CRB – Diogo Silva; Raul Prata, Iago Mendonça, Gilvan (Diego Ivo) e Bryan (Reginaldo); Yago, Uilian Correia e Rafael Longuine (Matheus Mega); Fabinho, Emerson Negueba e Gabriel Conceição. Técnico: Daniel Paulista

Gols – Emerson Negueba (CRB – 5’/1T); Tomas Bastos (OPE – 12’/1T); Javier Reina (OPE – 26’/1T); Raul Prata (CRB – 30’/1T); Fabinho (CRB – 24’/2T)

Cartões amarelos – Diogo Silva (CRB), Giovanni Pavani (Operário); Júnior Brandão (Operário); Giovani Fillipi (Operário); Gilvan (CRB – suspenso)

Árbitro – Marielson Alves Silva (CBF/BA)

Assistentes – Jucimar dos Santos Dias (CBF/BA) e José Carlos Oliveira dos Santos (CBF/BA)

Quarto árbitro – Gustavo Nogas (CBF/PR)

VAR – Thiago Duarte Peixoto (CBF/SP)

Assistente do VAR – Herman Brumel Vani (CBF/SP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.