Na manhã deste domingo (19), CSA e Guarani se enfrentaram em jogo isolado, fechando a 13ª rodada da Série B do Brasileiro, e ninguém levou a melhor. Sob o comando do novo treinador, Alberto Valentim, que deu uma nova cara ao time, o CSA ficou no empate sem gols com o Bugre. Chances até teve de sair com a vitória, mas, como sempre tem acontecido, o time azulino pecou muito nas finalizações. E o resultado acabou sendo justo.

A partida foi disputada no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas-SP. E, com esse resultado, o CSA ao menos deixou o Z4 e agora ocupa a 16ª colocação na tabela, com 14 pontos. Já o Bugre segue na zona da degola, em 18º, somando 13 pontos. Clique aqui para ver o Tempo Real

O time azulino volta a campo na próxima quinta-feira (23), desta vez jogando no Rei Pelé, às 21h30, mas recebendo uma pedreira: o Grêmio. Enquanto o Bugre vai entrar em campo, um dia depois, na sexta-feira (24), no Estádio do Café, às 19 horas, visitando o Londrina.

1º Tempo

O jogo começou pegado a quem assustou primeiro foi o CSA. Com um minuto, em cobrança de escanteio fechada de Osvaldo, Rafael Martins precisou dar um ‘soco’ na bola para afastá-la da linha de perigo. O Guarani respondeu aos 4min e quase fez um golaço. Se Carné não estivesse ligado no lance, o placar seria aberto à longa distância, surpreendendo o goleiro azulino, diretamente da zaga adversária.

Perto dos 14 minutos, o Guarani teve uma falta perigosa em seu favor. Mas quando Diogo Mateus cobrou, a bola bateu na barreira e ficou no meio do caminho. O Azulão respondeu aos 15 minutos, assustando. Diego Renan avançou, mandou a bola para a perna direita e arriscou o chute de longe, mas viu a pelota passar perto da trave esquerda de Rafael Martins.

Aos 18 minutos, Rodrigo Rodrigues lançou a bola para Rodrigo Rodrigues, que tentou tirar do goleiro, mas ela foi para fora, passando perto da trave. Por pouco o CSA não fez o primeiro gol da partida. O time azulino era melhor e teve melhores chances até esse momento do jogo, que chegava já aos 20 minutos.

O jogo chegava aos 25 minutos e, apesar de ser o visitante, o CSA era quem ditava o ritmo da partida, pois seguia melhor em campo, mas faltava mais velocidade ao time azulino, para buscar o gol. Enquanto isso, o Guarani só trocava passes no campo de defesa, já deixando a sua torcida na bronca, impaciente. Aos 31 minutos, Gabriel avançou, livre, tocou de primeira, mas mandou para fora, perdendo a boa chance. Só que o assistente já havia marcado impedimento.

O CSA tinha o domínio do jogo, mas não conseguia fazer o gol, chances já tinham surgido para o time azulino, só que o gol não saía. Aos 35 minutos, o Guarani assustou, quando uma bola foi batida com perigo, por Ernando, após cobrança de escanteio, só que ela foi na trave azulina.

Passando dos 40 minutos, tinham ocorrido quatro finalizações do Guarani, que começou a gostar da partida, e sete do CSA, que passou a levar sufoco no finalzinho. Aos 43min, o Bugre teve uma falta perigosa em seu favor, que, na verdade, não existiu, pois Osvaldo sequer tocou no jogador do Guarani, mas na cobrança de Giovanni Augusto, a bola foi na barreira.

E, sem acréscimos dados pelo árbitro, a partida em seu primeiro tempo foi encerrada exatamente aos 45 minutos e com o empate sem gols entre Guarani e CSA no placar.

2º Tempo

Quem começou assustando na segunda etapa foi o CSA, aos 2 minutos. Após jogada de Osvaldo pela esquerda, ele cruzou e Lourenço cabeceou, mas muito mal, pois a bola foi para fora e a grande chance acabou sendo desperdiçada. Aos 6min, Rodrigo mandou de calcanhar, mas Gabriel não estava ligado no lance e perdeu mais uma oportunidade de fazer o gol azulino.

Só dava Azulão no segundo tempo. E, aos 8 minutos, mais uma chance, em outra chegada perigosa, com Lourenço. Giva Santos serviu o camisa 20, que bateu cruzado, mas viu a bola se perder pela linha de fundo. Apesar de precisar de um resultado positivo, o Guarani se fechava e a torcida ficava impaciente. Mas o técnico Marcelo Chamusca começou a fazer alterações em sua equipe, tentando ir para o tudo ou nada.

Parece que as mudanças de Chamusca começaram a funcionar. Aos 17 minutos, Yago, que tinha acabado de entrar, chegou com velocidade, após bobeira do CSA, e mandou uma bola na trave. Em seguida, Giovanni Augusto ainda tentou, após confusão na área, mas a defesa do azulina afastou e Marcelo Carné ficou com a bola.

A partida chegava aos 25 minutos e o que se via era que o Bugre tinha crescido de produção, ficou mais ofensivo, mais solto e encurralava o time azulino. A verdade do lado do CSA era que o time não tinha um camisa 9 que resolvesse a situação das finalizações em gol na equipe de Valentim. O técnico, inclusive, vendo a situação do seu time, começou a fazer suas substituições, aos 28 minutos.

O ponteiro aproximava-se dos 30 minutos e o panorama do jogo seguia como de início. Aos 29min, Gabriel tentou duas vezes pela esquerda. Na primeira, a bola esbarrou na zaga do Guarani; na segunda, Rafael Martins saiu do gol e fez a defesa. Nesse momento, aos 32min, o técnico Chamusca recebeu o cartão amarelo, por reclamar demais da arbitragem.

Aos 34min, Lucão chegou e mandou a pelota para Giovanni Augusto, que chutou com perigo, da entrada da área, mas a bola foi para fora, passando perto da trave de Carné. Aos 36 minutos, o goleiro azulino se esticou todo e operou um milagre, na cabeçada de Lucão do Break.

O time do Guarani estava perigoso demais e até já merecia o gol que quase saiu aos 38min. Após cruzamento, Yago desviou na primeira trave e Lucas Marques fez o corte, antes da chegada de Matheus Pereira. O árbitro decretou 4 minutos de acréscimos, depois determinou mais dois e, sem mais demora, ele encerrou a partida aos 51 minutos, com o zero a zero sacramentado no Brinco de Ouro.

Ficha Técnica

Guarani – Rafael Martins; João Victor, Ernando (Júlio César) e Leandro Castán; Diogo Mateus (Lucas Ramon), Leandro Vilela, Rodrigo Andrade (Silas) e Matheus Pereira; Giovanni Augusto, Bruno José (Yago) e Lucão do Break (Maxwell). Técnico: Marcelo Chamusca.

CSA – Marcelo Carné; Lucas Marques, Lucão, Wellington Nascimento e Diego Renan; Geovane (Bruno Mota), Giva Santos, Lourenço (Didira) e Gabriel (Yann Rolim); Osvaldo (Marco Túlio) e Rodrigo Rodrigues. Técnico: Alberto Valentim.

Árbitro – Leonardo Willers Lorenzatto (CBF/MT).

Assistentes – Fábio Rodrigo Rubinho (CBF/MT) e Fernanda Kruger (CBF/MT).

Quarto árbitro – Paulo César Francisco (CBF/SP).

VAR – Gilberto Rodrigues Castro Júnior (CBF/PE).

Observador do VAR – Luiz Vanderlei Martinucho (CBF/SP).

Fonte: tv gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.