O casamento de nove anos de Lewis Hamilton com a Mercedes passa neste 2022 por uma crise causada pelo W13, carro do time no atual campeonato da F1. E depois de se desculpar pelo monoposto “indirigível” dado ao heptacampeão no GP da Emilia-Romagna, no qual ele chegou em 14º no último domingo, o chefe da equipe Toto Wolff afirmou que o bólido não está a altura do piloto.

– Não somos dignos de um campeão mundial. Só precisamos consertar o carro. Falei com ele rapidamente pelo rádio e pedi desculpas pelo carro que ele precisa guiar no momento, e vamos resolver isso – disse o austríaco.

O heptacampeão chegou a ganhar duas posições na largada, partindo do 14º lugar, e alcançou a décima posição ainda nas primeiras voltas. No entanto, ele caiu de volta para seu posto inicial com um pit stop lento no 18º giro e não conseguiu se recuperar.

Hamilton só terminou a prova em 13º após uma punição de 5s dada a Esteban Ocon por saída insegura no pit lane, num lance com o próprio piloto da Mercedes.

Essa foi a primeira corrida de um total de quatro em que Hamilton ficou fora da zona de pontuação. Sétimo colocado no Mundial, o britânico subiu no pódio com um terceiro lugar no Bahrein e, desde então, tem visto o novo colega de equipe George Russell obter resultados melhores.

– Ele foi espremido por uma das Alpines, os outros dois carros o ultrapassaram, e simplesmente não dá para ultrapassar em uma fila para a asa móvel.Vimos com George que se você estiver livre, o carro pode ser bem guiado, mas não somos bons o suficiente para um campeão mundial – continuou Wolff.

O carro de Hamilton tem utilizado acertos diferentes e menos conservadores que os adotados no monoposto de Russell. Além disso, o heptacampeão ainda vem sofrendo com trocas lentas de pneus e o mau timing da entrada do safety car nos últimos incidentes registrados nas provas até aqui.

Enquanto isso, Russell chegou perto de um segundo pódio na prova deste último domingo após largar em 11º. Ele ocupava a quinta colocação até Charles Leclerc rodar sozinho e despencar na classificação da corrida, alçando o britânico para o quarto posto na disputa.

Recém-chegado na Mercedes, George ocupa o quarto posto no campeonato de pilotos e terminou todas as corridas até aqui entre os cinco primeiros.

– George realmente se saiu bem, considerando o carro que ele tinha. Perdemos o ajuste da aba da asa dianteira, o que significa que ele tinha um carro configurado para a pista molhada e não para o seco, mas ele aguentou bem – avaliou o chefe da Mercedes.

Bola pra frente

A Fórmula 1 encara um intervalo de duas semanas até o inaugural GP de Miami, no recém-construído Autódromo Internacional de Miami.

Wolff evitou criar expectativas para o desempenho da Mercedes na primeira de duas provas nos Estados Unidos em 2022, mas prometeu que o time trabalha para resolver seus problemas – dentre os quais o sacolejar do carro (efeito purpoising) que tem afetado o desempenho de Hamilton e Russell:

– Vamos analisar as coisas para Miami. Se poderemos dar um passo na compreensão do carro, veremos outro dia. Mas precisamos realmente entendê-lo mais, avançar e trazer desenvolvimentos para o carro que consertarão o problema dos saltos.

Fonte: TV Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.