O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou hoje (31) a distribuição dos recursos para o Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) em 2016. A Lei Orçamentária deste ano prevê R$ 4,8 bilhões para empréstimos do fundo. Desse total, R$ 4,6 bilhões foram repartidos entre diferentes modalidades de crédito, como operações de custeio e financiamento para aquisição de café. Os R$ 200 milhões restantes ficarão reservados como margem de contingência, caso haja demanda adicional por crédito.

Do montante distribuído pelo CMN, R$ 950 milhões são para operações de custeio, o mesmo valor de 2015. O crédito para estocagem aumentou, de R$ 1,5 bilhão, no ano passado, para R$ 1,752 bilhão este ano. O recurso para financiar a aquisição de café, por sua vez, será R$ 1 bilhão em 2016, ante R$ 750 milhões em 2015. O crédito para financiar contratos de opção e de operações em mercados futuros foi definido em R$ 10 milhões e, para recuperação de cafezais danificados, em R$ 20 milhões, ambos sem alteração em relação ao ano passado.

O colegiado destinou R$ 900 milhões para financiamento de capital de giro, sendo R$ 200 milhões para indústrias de café solúvel, R$ 300 milhões para indústrias de torrefação de café e R$ 400 milhões para cooperativas de produção do grão. Os valores também são iguais aos destinados em 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.