Segundo revista Veja, declaração consta em delação premiada de Dario Messer; família Marinho nega

Investigado na Lava Jato, o doleiro Dario Messer afirmou, em delação premiada homologada na quarta-feira 12, que realizou repasses de dólares em espécie para a família Marinho, dona do Grupo Globo, em diferentes ocasiões, desde o início da década de 1990. A informação foi publicada na sexta-feira 14, pela revista Veja.
De acordo com o veículo, Messer declarou à Justiça que entregou pacotes de dinheiro dentro da sede da emissora Globo, no bairro Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro. O doleiro afirmou que um funcionário de sua equipe entregava quantias entre 50 mil e 300 mil dólares, de duas a três vezes por mês.

O delator disse ainda que nunca teve contato direto com a família Marinho. Segundo o seu depoimento, quem recebia os valores era um funcionário identificado por ele como José Aleixo. Os destinatários seriam os irmãos Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho, da cúpula do Grupo Globo.

Os valores em espécie entregues no Brasil seriam compensados pelos Marinho por uma conta no exterior, administrada por Celso Barizon, supostamente gerente da conta da família Marinho no banco Safra de Nova York, nos Estados Unidos. Conforme informou Veja, o delator não apresentou provas dessas entregas de dólares.

Família Marinho nega

Em nota, a família Marinho negou as informações da delação premiada de Messer. Confira, a seguir, a nota na íntegra.

“A respeito de notícias divulgadas sobre a delação de Dario Messer, vimos esclarecer que Roberto Irineu Marinho e João Roberto Marinho não têm nem nunca tiveram contas não declaradas às autoridades brasileiras no exterior. Da mesma maneira, nunca realizaram operações de câmbio não declaradas às autoridades brasileiras.”

Fonte: cartacapital.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.