Não é só com você —nem é culpa do seu roteador ou da sua conexão. Os aplicativos do WhatsApp, Facebook e Instagram estão fora do ar globalmente desde por volta de meio-dia (de Brasília), sem previsão de retorno. Ninguém consegue enviar mensagens no WhatsApp ou carregar novos posts no Instagram e Facebook.

Por meio de sua conta oficial no Twitter, o Facebook —que também é dono do WhatsApp e Instagram— confirmou o problema no mundo todo, mas não deu detalhes sobre a falha.

“Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para acessar nossos aplicativos e produtos. Estamos trabalhando para voltar ao normal o mais rápido possível e pedimos desculpas por qualquer inconveniente”, disse a empresa.

O blecaute atinge tanto os aplicativos para Android e iOS quanto os sites acessíveis pelo navegador no celular e no PC. Quem tenta acessar o WhatsApp Web ou o Facebook e o Instagram pelo navegador encontra uma tela de página fora do ar.

Há sinais de que a falha geral está afetando também outros aplicativos que dependem do login do Facebook, como o jogo “Pokémon Go” — a desenvolvedora, Niantic, diz que está investigando o caso.

Até a plataforma de realidade virtual Oculus, que pertence ao Facebook, está com problemas. Quem usa um dos visores da marca para jogar relata problemas para carregar games.

Falhas nos serviços do Facebook não são inéditas: só este ano, os apps tiveram instabilidade pelo menos três vezes, em março, junho e setembro. Geralmente, as redes sociais voltam a funcionar em menos de duas horas. No blecaute desta segunda, já são horas sem retorno, o que não é comum.

Possível falha de DNS

Dane Knecht, vice-presidente da empresa de servidores Cloudflare, disse em seu perfil no Twitter que a queda global do Facebook tem a ver com DNS e que “as rotas BGP” da empresa “foram retiradas da internet”.

DNS significa Domain Name System, ou Sistema de Nomes de Domínios. É um computador com uma espécie de banco de dados que relaciona o endereço “nominal” (site do mcz10, por exemplo) com o endereço real (número de IP, de Internet Protocol) para poder acessá-lo.

Funciona assim: quando você digita www.mcz10.com.br, servidores DNS entram em operação e “traduzem” o endereço para o IP 200.221.2.45 (relativo ao UOL) e permitem o acesso.

Quando ocorre uma falha em um desses servidores, o endereço IP fica fora de alcance.

Já BGP significa Border Gateway Protocol (Protocolo de Portão de Fronteira, em tradução livre). Trata-se do sistema que decide por qual rota os seus dados vão trafegar até chegar ao destino escolhido.

É como se fosse o Waze: quando você digita www.mcz10.com.br na barra de endereços do navegador e aperta Enter (ou abre o WhatsApp no celular), o BGP é o protocolo que avalia os possíveis caminhos que você pode tomar para chegar ao servidor desejado.

Funcionários impedidos de trabalhar

Se o BGP sai do ar, como parece ser o caso do Facebook nesta segunda, a plataforma fica “sem direção” e não consegue mais encontrar o caminho entre o usuário e o serviço que ele quer acessar.

Até mesmo os funcionários da empresa podem ficar sem acesso às ferramentas internas usadas para configurar o sistema e corrigir o problema. É isso que parece estar prolongando a correção da falha nas empresas do Facebook.

Brian Krebs, jornalista especialista em segurança digital, resumiu o cenário em um tweet: “Confirmado: os registros DNS que informam aos sistemas como encontrar Facebook.com ou Instagram.com foram retirados esta manhã das tabelas de roteamento global. Você consegue se imaginar trabalhando no FB agora, quando seu email não funciona mais e todas as suas ferramentas internas baseadas no FB falham?”

Sheera Frenkel, repórter do jornal norte-americano The New York Times, confirmou o cenário caótico na empresa: “Acabei de falar ao telefone com alguém que trabalha para o FB que descreveu funcionários sem conseguir entrar nos prédios esta manhã para avaliar a extensão da pane porque seus crachás não funcionavam para abrir as portas”.

Fonte: Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.