Um trecho de 4 quilômetros de mangue, situado às margens da Lagoa Mundaú, em Maceió, está afundando, conforme mostrou uma reportagem feita pela TV Gazeta. A área é uma das afetadas pela extração da sal-gema na capital.

Segundo Ricardo César, coordenador e Gerenciamento Costeiro do Instituto do Meio Ambiente (IMA), a área é de 1,73% de manguezal, o que corresponde a 14 hectares.

Esse processo coloca em risco a vida de espécies de peixes, crustáceos e moluscos da lagoa, que são fonte de renda e alimento para milhares de famílias. Centenas de moradores já se mudaram da região, por causa do avanço das águas.

Na lagoa, foram instaladas boias para delimitar as áreas seguras de passagem. Até o outro lado onde está a floresta de mangue, não se pode navegar, por causa do afundamento da margem da lagoa.

De acordo com a Braskem, o acordo firmado com os Ministérios Públicos Federal e Estadual previu a nomeação de uma empresa para realizar estudos sobre possíveis impactos ambientais, inclusive na Lagoa Mundaú e seu entorno. E com o resultado desse estudo, serão feitos trabalhos para um plano integrado de ações na região. Segundo a empresa, a área de mangue alagada representa menos de 2% da área total de mangue avaliada no estudo, e será recomposta.

Fonte: TV Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.