De janeiro a abril deste ano, 3.700 toneladas de lixo foram recolhidas nas praias da capital alagoana, totalizando uma média de 940 toneladas de resíduos por mês. Em maio, foi constatada uma redução de 20% comparada à média mensal, fechando a contagem em 740 toneladas.

A redução é resultado de diversas iniciativas nos pontos críticos de descarte irregular espalhados pela cidade, de onde, até agora, foram retiradas mais de 140 mil toneladas de resíduos sólidos. Com a retirada dos resíduos, diversos materiais deixaram de seguir para os canais que desaguam na orla da capital.

Além disso, a Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes) colocou na rua, diariamente, equipes de educação ambiental em diversos bairros de Maceió, incluindo os que possuem praia, para orientar residentes e comerciantes a respeito do descarte irregular de lixo, dos equipamentos ofertados pela Prefeitura e sobre o horário e dia que a coleta domiciliar atende cada região.

A diretora de planejamento e serviços especiais da Sudes, Kedyna Tavares, diz que o trabalho da Superintendência é árduo, pois ainda há muita falta de consciência ambiental dos cidadãos.

“Mesmo com ações frequentes de educação ambiental, nós ainda sofremos muito com a falta de educação e consciência de algumas pessoas. Os descartes irregulares ainda são frequentes e é isso que acaba atacando nosso meio ambiente e prejudicando a cidade de várias maneiras”, disse.

Durante este mês, em alusão ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no último dia 5 de junho, a Sudes tem preparado diversas ações sustentáveis, como o Projeto Praia 10 Lixo Zero, idealizado pela Organização Arnon de Mello, e a limpeza de lagoas e mangues, visando diminuir o impacto ambiental causado pelo descarte irregular.

Com assessoria*
Fonte: tv gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.