Uma luta que durou 189 dias, mas que teve um final feliz. Foi isso que viveu Maria José Irineu, de 64 anos, que contraiu a Covid-19 e precisou ficar internada para receber tratamento. Nessa terça-feira (5), no entanto, a vitória veio e ela recebeu alta após mais de seis meses de internação, no Hospital da Mulher (HM), no bairro do Poço, em Maceió. A partir de agora a paciente ficará em home care, em sua residência, localizada em Rio Largo, e será acompanhada por uma equipe multidisciplinar.

Maria José Irineu deu entrada no HM no dia 30 de março deste ano, encaminhada do Hospital Geral Professor Ib Gatto Falcão, localizado em Rio Largo, onde reside, e ficou na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) até o dia 29 de abril. Depois, a paciente foi transferida para a Unidade Semi Intensiva (USI), onde permaneceu até o dia de sua alta.

A médica do HM, Eduarda Santana, que acompanhou a paciente, também estava bastante emocionada com a alta. Ela relatou que, durante a internação, Maria José passou por diversas intercorrências, como déficits neurológicos, infecções bacterianas e intubação, e atualmente está no seu melhor estado de saúde.

“No HM a paciente foi traqueostomizada e atualmente está sem nenhuma infecção detectada. Ela está no seu melhor estado. Acordada, compreendendo o que falamos. A filha foi muito importante na recuperação e a equipe tem um apego muito importante por ela, porque são mais de seis meses aqui”, explicou a médica.

De acordo com a assistente social do HM, Rossany Ferro, a partir de agora a paciente ficará em home care e será acompanhada por uma equipe multidisciplinar 24 horas, todos os dias da semana.

“Agora a paciente terá todo um acompanhamento na sua própria casa, com médicos, técnicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogas e nutrição. Nós construímos um vínculo com essa família, com a filha de dona Maria José, que sempre esteve aqui presente acompanhando a mãe. Será dada a mesma assistência que ela estava tendo aqui, com oxigênio, cama hospitalar e sonda. Só que agora no conforto do seu lar”, disse a assistente social.

A filha da paciente, Fabiana Cabral, estava emocionada ao poder levar a mãe para casa. “Deus é fiel. É uma vitória, com todas as coisas que minha mãe passou, eu não pensava em levar ela para casa. Só gratidão por todos da equipe do Hospital [da Mulher]. Deus colocou ela no lugar certo. Agora vamos cuidar em casa, com assistência 24 horas. Estou muito feliz”, salientou.

Fonte: TV Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.