O verão está chegando e precisamos falar sobre este assunto. As doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti são um problema de saúde pública no Brasil. Embora as ocorrências dessas doenças aconteçam durante todo o ano, a chegada do período de chuvas aumenta o acúmulo de água parada em locais propícios a retenção de águas, formando um ambiente perfeito para a reprodução e proliferação do mosquito e os números de casos de dengue, zika e chikungunya triplicam.
A melhor maneira de combater a dengue, a zika e a chikungunya, como ressaltam a OMS, o Ministério da Saúde e a Fiocruz, é a prevenção. E ela começa dentro de casa, nas residências, quintais e bairros de cada cidadão. Existem campanhas de combate ao mosquito durante todo o ano, agentes de saúde visitam regularmente as residências para vistorias de criadouros e orientar sobre as formas de prevenção. Tudo depende de cada cidadão, recebam os agentes em suas propriedades, escutem, mas a mudança começa dentro de casa e só depende de suas atitudes.
A participação de todos na eliminação de criadouros do vetor da dengue, zika e chikungunya é fundamental para a chegada de um verão sem epidemias e surtos dessas doenças. (Fiocruz)
Você sabe como se previnir conta o Aedes aegypti?

foto-21
foto-3
É importante que na apresentação dos sintomas citados acima, busque-se o serviço de saúde mais próximo para a confirmação do diagnóstico e para a prescrição de um tratamento para o alívio dos sintomas e recomendações. Não é recomendado usar o ácido acetil salicílico (AAS) devido ao risco de hemorragia. É IMPORTANTE NÃO TOMAR MEDICAMENTOS POR CONTA PRÓPRIA.
Embora não exista um tratamento específico para dengue, geralmente o tratamento é para o alívio dos sintomas, fazer repouso e ingerir bastante líquido.
Não existe vacina contra a chikungunya ou tratamento específico. O tratamentos também são para o alívio dos sintomas como a febre e dores articulares.
Também não existe tratamento específico e vacina contra a infecção pelo vírus Zika. O tratamento recomendado para os casos sintomáticos também é para o alívio dos sintomas como a febre, dores e as erupções pruriginosas na pele.
A chikungunya e a zika podem apresentar complicações e a Fisioterapia pode ajudar.
O Zika Vírus e a microcefalia
Os estudos revelam que o aparecimento do vírus da zika, levou ao surto de microcefalia em recém-nascidos no Brasil e virou um alerta mundial. Por isso, um dos maiores grupos de risco são as gestantes que precisam realizar o pré natal com frequência, além de tomarem algumas precauções como o uso de mosquiteiros, de roupas que cubram as extremidades, como camisas com manga e calças, para reduzir o risco de picada, e a utilização de repelentes (na gestação, procurar orientação médica para o uso). Em casos de bebês com suspeita de microcefalia ou infecção pelo vírus da zika , deve-se procurar imediatamente ajuda médica para avaliação, diagnóstico clínico e encaminhamento para tratamentos necessários (de acordo com o quadro clínico), sendo necessário uma equipe multiprofissional (pediatras, neurologistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, psicológos, terapeutas ocupacionas, ortopedistas, entre outros).
A Fisioterapia é uma das armas para o tratamento das consequências da microcefalia. A especialidade que cuida das disfunções infantis e neonatais é a pediátrica que é a responsável pelo diagnóstico cinético funcional, pela identificação das necessidades de cada quadro e por traçar o protocolo de tratamento fisioterapêutico mais adequado para as crianças. Os protocolos irão variar de acordo com o tipo de comprometimento, no caso das sequelas da microcefalia, neurológico, a gravidade do comprometimento e a idade de cada criança. O fisioterapeuta irá atuar desde a avaliação até a assistêntica hospitalar e pós hospitalar ou ambulatorial (levando em consideração que o acompanhamento fisioterapêutico será a longo prazo e poderá durar muitos anos para garantir o melhor desenvolvimento motor dos bebês e crianças). Lembrando que não existe a obrigatoriedade de um encaminhamento para que os responsáveis pela criança procurem um fisioterapeuta.
O Zika Vírus e a Síndrome de Guillain-Barré
Os estudos também revelaram também a relação entre o vírus da zika e o aumento dos casos de Síndrome de Guillain-Barré em pacientes que foram infectados pelo vírus. A síndrome é uma doença neurológica grave caracterizada pela inflamação dos nervos e fraqueza muscular, podendo ser fatal, geralmente diagnosticada após algumas semanas de uma infecção viral (como por exemplo, dengue ou Zika Vírus). É uma doença de progressão rápida, podendo durar de 2 a 4 semanas, que exige internação hospital devido ao risco de parada respiratória. A maioria dos pacientes recebe alta hospitalar após 4 semanas, mas que o tempo total de recuperação pode variar de meses a anos, com prognóstico de voltar a andar de 6 a 12 meses e os que apresentam mais dificuldade podem precisar de cerca de mais tempo para se recuperar. Em caso de suspeita de Síndrome de Guillain-Barré deve-se ir rapidamente para o hospital ou ao neurologista.
foto-4
O tratamento fisioterapêutico na Síndrome de Guillain-Barré também começa no nível hospitalar e vai até a altta do paciente, sendo importante para a recuperação das funções musculares e respiratórias e deve ser mantida a longo prazo buscando atingir o máximo de recuperação das capacidades com a realização de exercícios diários de estimulo de movimentos articulares, amplitude de movimento, força muscular, capacidade respiratória e prevenção das complicações respiratórias e circulatórias.
A Chikungunya e as articulações
Inflamação nas articulações e dores articulares são sintomas comuns da Chikungunya e que costumam durar por meses após o período de infecção, causando, além das dores que encomodam e atrapalham, rigidez muscular. Na maioria dos casos, a artrite (inflamação na articulação) é apresentada nas mãos, punhos, tornozelos, joelhos e ombros, pode passar de articulação a articulação conforme uma começar a apresentar melhora (“dor que anda”) e as dores costumam ser mais fortes pela manhã ao despertar, aliviando ao longo de movimentos leves durante o dia. Além da dor e inflamação, as articulações podem apresentar inchaço ou sensibilidade ao serem tocadas e também tenossinovites (nflamação da bolsa sinuvial que contorna o tendão)
A Fisioterapia entra como aliada no tratamento do alívio e redução das dores articulares, com o período de recuperação podendo durar semanas ou meses, de acordo com a intensidade e gravidade dos sintomas e do protocolo de tratamento. O tratamento fisioterapêutico poderá ser realizado desde a eletrotermofototerapia até a cinesioterapia e terapias manuais com o objetivo de alívio e redução do quadro de dor e inflamação, melhorando a movimentação, circulação e promovendo bem estar para o paciente.

Lembrando que no caso do aparecimento dos sintomas, procure atendimento médico e evite a automedicação. Quer saber mais sobre Dengue, Zika e Chikungunya, procure o atendimento básico de saúde mais próximo para conhecer mais as campanhas Aedes aegypti e para mais informações sobre as doenças. Em relação aos tratamentos fisioterapêuticos, procure um fisioterapeuta para conversar e esclarecer suas dúvidas. Os postos de saúde são unidades de atendimento básico e de informações, disponibilizando profissionais de diversas áreas, faça uma visita. Tenha uma relação saudável com a unidade de saúde de seu bairro, participe das palestras, procure os agentes de saúde, agende sua consulta. LEMBRE-SE, A PREVENÇÃO É AINDA O MELHOR REMÉDIO!

Por Dra. Mariah Morgado Fisioterapeuta (CREFITO2 – 209698F) Cabo Frio – Rio de Janeiro
Por Dra. Mariah Morgado
Fisioterapeuta (CREFITO2 – 209698F)
Cabo Frio – Rio de Janeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.