Acorda Pedrinho

Em entrevista à CNN, a banda curitibana Jovem Dionísio, autora da música que viralizou no TikTok e Instagram, conta quem é Pedrinho, por que ele precisa acordar e relata como tem sido o sucesso repentino

“Acorda Pedrinho / Que hoje tem campeonato / Vem dançar comigo / Vai ver que eu te esculacho.”

Nesta sexta-feira (27), a essa altura do “campeonato”, é improvável conseguir passar muito tempo nas mídias sociais sem cruzar, por ao menos 15 segundos, pelos versos desse hit.

Seja em um TikTok, um reels ou stories do Instagram, a música “Acorda, Pedrinho”, neste momento, encabeça a lista de virais do Spotify no mundo inteiro e lidera as mais escutadas no Brasil pelo 15º dia seguido.

A trilha sonora não tem objeto definido. Pode servir de fundo para qualquer publicação, desde uma influencer se maquiando, um lance bonito de futebol, até mesmo um vídeo de uma cirurgia. O tal do “Pedrinho” é chamado a acordar, não importa a situação.

Os autores do viral são os integrantes da banda curitibana Jovem Dionísio. Autointitulados como uma “boy band de boteco”, a resposta para a maioria das perguntas que surgem desse sucesso está próxima do centro de Curitiba, no conhecido “bar do Dionísio”, que batiza o grupo.

A música, que também dá nome ao primeiro álbum deles, era até então uma piada interna entre eles, mas agora é a responsável por lotar a agenda da banda.

Em entrevista à CNN, os integrantes contam a história do grupo, explicam quem é o Pedrinho, por que ele precisa acordar e relatam como tem sido os últimos dias desde a explosão do hit.

Da amizade de infância ao bar do Dionísio

A Jovem Dionísio é formada pelo vocalista Bernardo Pasquali (Belni), o baixista Gustavo Karam, o tecladista Bernardo Hey (Ber Hey), o guitarrista Rafael Mendes (Fufa) e o baterista Gabriel Mendes (Mendão).

Foto: Google

Os cinco são amigos de infância e estudavam juntos no mesmo colégio em Curitiba. Karam relembra que foi nessa época que começaram a tocar juntos, sob o nome “Huff”, mas o repertório se restringia a covers de outros artistas.

“A gente começou a tocar real mesmo quando todo mundo começou na faculdade”, relembra Ber Hey. Conforme eles começaram suas graduações pela PUC-PR, foram surgindo as apresentações em bares, festas e cervejadas.

Em 2019, decidiram que iriam lançar suas próprias músicas. Então, em abril daquele ano, durante o planejamento do que seria o primeiro EP da banda, “Dança Entre Casais”, eles decidiram rebatizar a banda.

Naquela época, Ber Hey relembra que começou a frequentar a Lanchonete Aquarius, no bairro curitibano de Juvevê, com os colegas de trabalho do escritório de advocacia, no qual fazia um estágio em Direito.

O local, mais conhecido como “bar do Dionísio”, por causa do nome do dono, passou a ser ponto de encontro para os colegas da banda. Ao decidir sobre qual nome adotariam para o lançamento do primeiro EP, resolveram homenagear o dono do bar preferido deles. Assim surge a “boy band de boteco”, Jovem Dionísio.

Quem é o tão falado Pedrinho?

“O Pedrinho é um grande amigo nosso. Ele frequenta o bar [do Dionísio], já conhece a gente faz bastante tempo de lá. Sempre dá risada junto, joga sinuca junto”, conta Karam.

O senhor, com seus 60 e poucos anos, é conhecido pelos frequentadores do local pelo hábito de tirar um cochilo sentado em uma mesa do bar.

“Ele encosta na mesinha dele, no cantinho dele e dá uma cochiladinha sentado no bar”, explica Karam. “Toma uma cerveja, outra, dorme, acorda e volta”, complementa Belni.

Eles explicam que seus amigos do bar do Dionísio são mais velhos, e os cochilos de Pedrinho são uma piada interna já antiga entre todo mundo.

No perfil do “bar do Dionísio” na plataforma Foursquare, existe um registro de 2013, que já mostrava Pedrinho dormindo. “Aniversário do Pedrinho, mas ele não aguentou!”, escrevia o post.

“O Pedrinho é um mascotinho de todo mundo. Todo mundo ama o Pedrinho”, afirma Belni.

A parte da letra que fala “hoje tem campeonato” é uma referência às frequentes disputas que acontecem na mesa de sinuca do bar do Dionísio.

Praticamente em uníssono, Belni, Karam e Ber Hey dizem: “Pedrinho é bom de sinuca!”

“Se tiver valendo uma cerveja ali, aí ele ganha sem dançar”, brinca Ber Hey.

“Ele conhece cada desnível daquela mesa ali como ninguém. Tem uma caçapa que você nunca deve tentar jogar nela, porque é só para quem sabe [Risos]”, acrescenta Karam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.